PROCURE POR TAGS: 

POSTS RECENTES: 

SIGA

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • Instagram Clean Grey

Poetar

Poetar representa hoje o apaziguar dos dias bons, ruins e dos descompassos dos afetos não correspondidos.

Poetar a estranheza íntima do olhar e do carinho de outrora. Hoje sentada, sozinha, olhando o pôr-do-sol olhei para dentro de mim e como num labirinto me perdi. Busquei formas, tons, sorrisos e levezas, mas encontrei e reconheci a insuficiência do tecido e do tecer, em solidão, quando são questões de ordem afetiva. Pé a pé, por alguns minutos e algumas lágrimas reconheci, não há receitas!

Poetar a dor é como um sapato que aperta, mas não sinto mais fascínio pela dor. Cá estou eu a pensar no sorriso que me embriagou, no beijo que não posso mais ter, no abraço e no aconchego dos seus braços. Reconheço minhas insuficiências, minha poesia intensa e minha prosa sofrida, mas admita! seus olhos jamais reconhecerão outra beleza como a minha, seus dedos Jamais esqueceram minha pele macia, sua boca jamais sentirá outro beijo desejante... no compasso do forró ou do carimbó eu abri entusiasmada, medrosa, desejante as dores e as delícias de compartilhar momentos nossos. O sol está se pondo, passarinho quer pousar, não mais num horizonte qualquer... ao seu lado... descompasso... eu que só queria mais "nós" de nós, sem ser piegas, hoje me reconheço apaixonada...

sigo poetizando... o amor e a dor


Fonte da Imagem: Marcela Ferreira Marinho

  • b-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now