PROCURE POR TAGS: 

POSTS RECENTES: 

SIGA

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • Instagram Clean Grey

Muita calma nessa ALMA, vai ficar tudo bem!


Uma enxurrada de recordações invadiu minha mente neste exato momento. Primeiro, porque escolhi a agenda do meu antigo trabalho para rabiscar as primeiras palavras deste artigo. E segundo, porque a data de hoje é simbólica e remete muito ao período ao qual eu tive que tomar a decisão de abandonar minha vida profissional em prol da carreira do meu marido.


Quando lembro do 01 de Setembro de 2016, me recordo também que neste dia eu estava completando o primeiro mês “sem” trabalho. Era um marco! O primeiro mês de um baita desafio pessoal que só estava começando.


Comecei a trabalhar muito cedo. Aos 16 anos. Desde então, não parei mais. Portanto, não estar em um ambiente profissional, era para mim algo completamente desconhecido. E isso foi assustador. E ainda é. Tive de enfrentar meus fantasmas interiores para embarcar nessa aventura! Pedi as contas na firma e fui seguir carreira do lar. Preciso confessar que foram muitas lágrimas e soluços solitários. Me sentia perdida, cai de paraquedas em um lugar de cultura, clima, hábitos, completamente diferentes! Precisei me redescobrir, me aceitar nessa nova condição, e principalmente, me adaptar à nova fase. Era complexo para mim entender como conseguia administrar e resolver situações de crise no meu cotidiano de trabalho (sou engenheira) e como eu estava completamente perdida na nova atribuição: administrar o lar. Na faculdade não aprendi essa cadeira.


Os meses, enfim, foram se passando, e a medida em que eu me permitia transpor barreiras, as coisas iam se tornando mais fáceis. A vida me soprou aqui para o Rio Grande do Sul, uma paraense papa-xib,é significa um paraense nato, que adora peixe com açaí, pé descalço e banho frio.


O mesmo vento que me trouxe à Caxias do Sul, soprou para perto de mim pessoas maravilhosas, que eu irei levar na minha bagagem para sempre. Hoje é aniversário de um ano do primeiro mês que cheguei a cidade.


Não me sinto tão frágil como há um ano atrás e certamente nem tão forte quanto daqui a um ano. Essa é a graça da vida. Ou nos conformamos com a falta de algumas coisas ou lutamos para preencher todos os nossos anseios e desejos. Nesse jogo não existe game over. Pelo contrário, ganhei mais uma vida no jogo da vida!


Pois bem! Criei meu próprio MANTRA, “Muita calma nessa ALMA, vai ficar tudo bem!”, mentalizava sempre e me sentia bem com as escolhas feitas. Seguir em frente sempre. Crie o seu!


Dedicação à autora do blog: Amiga, obrigada pela honra de escrever aqui no seu diário pessoal. Marcela Marinho é uma referência de mulher para mim, é também uma das responsáveis por tornar meus dias mais leves e felizes. "Ela brilha, grande menina. Se ela sofre faz poesia. Quem lhe deu toda essa ousadia? Quem lhe desperta tanta alegria? Está dentro dela, ela só não sabia" (Marcela Thaís).


Fonte da imagem: Autora

  • b-facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now